Cavaco Silva e a decadência ética da direita

A Estátua de Sal

(Carlos Esperança, in Facebook, 27/02/2017)

cavaco_oliveira_costa

Cavaco Silva não é um epifenómeno da degradação ética do regime, é o arquiteto desta direita que capturou o PSD e o CDS, o padrinho que, em Belém, procedeu à retaliação contra o 25 de Abril, com a inteligência de Paulo Portas, a inépcia de Passos Coelho e o ressentimento comum.

A esquerda, em especial a social-democrata, intimidou-se com o bullying da direita, que manteve designações democráticas (PSD e CDS) para melhor se vingar das conquistas populares. Social-democracia, Sempre! – dizia Pedro Passos Coelho, depois de expulso do governo pelo PS, BE, PCP e PEV, e de ter feito o mais implacável ataque ao setor público e as mais ruinosas privatizações. É preciso topete!

Cavaco divulgou um livro de 600 páginas onde 2/3 – diz a imprensa –, são sobre as 118 audiências com um PM caído em desgraça. Há nesse ódio doentio a pusilanimidade…

View original post mais 356 palavras

Advertisement

O despautério

A Estátua de Sal

(Baptista Bastos, in Jornal de Negócios, 24/02/2017)

bb1

A luta que Pedro Passos Coelho trava para que Mário Centeno seja corrido do Governo tornou-se num cansativo exercício de despautério. As razões pretendidamente fundas para desmantelar o Governo não só são fatigantes como resultam no destapar do feio rosto de uma manobra tenebrosa. Nem tudo é permitido em democracia, a não ser que os agentes deste desconforto desejem, eles mesmo, destroçar o que, há pouco mais de quarenta anos, foi edificado com esforço inaudito. O antigo primeiro-ministro está desarvorado e as sondagens, tomando-as como válidas, são suficientemente esclarecedoras. Esta experiência governamental, por única no panorama democrático português, é suficientemente reveladora do que tem acontecido noutras “freguesias.” E explica as razões fundas que conduzem ao ludíbrio. Mas a verdade é que jogadas desta natureza estão a ser rudemente castigadas, um pouco pela Europa. Bem sabemos o custo material que implicam, o desgosto que…

View original post mais 358 palavras

Sem Sombra de Grandeza

A Estátua de Sal

(Miguel Sousa Tavares, in Expresso, 25/02/2017)

AUTOR                                         Miguel Sousa Tavares

1 Bem pode Cavaco Silva desfilar o rol de grandes do mundo que conheceu em vinte anos no topo da política portuguesa: nenhum desses grandes o recordará nem que seja num pé de página de memórias e a nossa história não guardará dele mais do que o registo de uma grandiloquente decepção.

 Nos seus dez anos como primeiro-ministro, Cavaco Silva teve o que nunca ninguém tinha tido antes dele e não voltou nem voltará a ter depois dele: uma maioria, tempo, paz social, esperança e dinheiro sem fim, vindo da Europa. Fosse ele, porventura, um homem dotado de vis

View original post mais 1.722 palavras

“DESLARGUEM-ME”, disse ele!

À Esquerda do Zero

Que já andava em estado de permanente irritação, a precisar com urgência de uma ida a um médico que lhe receitasse nem que fosse uma Fluoexetina-20mg, como eu tomo diariamente para enfrentar com mais calma as contrariedades da vida, era nítido para todos.

Porquê? Por razões várias: O diabo que tardava em vir, mas que de certeza viria, nem que encarnado em alguém disposto a, por ele, fazer vingar as suas angústias- hoje, por exemplo, está um em Lisboa em quem ele tanto confiava, o tal de Dombrowski mas, como tem nome de futebolista, ninguém deu por ele; o candidato a Lisboa que não aparece; os números da economia a desmentirem-no mês a mês e tudo o mais…

Só havia uma luz no meio deste imenso breu e ele, mais os seus parceiros de viagem, logo tomaram esse trilho, dispostos a tudo fazerem e a tudo recorrerem para, sobrevivendo, manterem…

View original post mais 820 palavras

A memória pafiosa

A Estátua de Sal

(Por Estátua de Sal, 21/02/2017)

memoria_pafiosa

Tinha um amigo, já falecido, que costumava dizer quando pretendia justificar-se da sua índole de grande pecador, fazendo referência ao Evangelho segundo S. Mateus,  que: “Se a carne é fraca, a minha é fraquíssima”. Por similitude, a nossa memória também é fraca, mas a memória dos trombeteiros pafiosos da direita é mais que fraquíssima.

Vem isto a propósito do rasgar de vestes com que o PSD/CDS querem surgir como grandes arautos da defesa da democracia, que dizem estar ameaçada porque a maioria à esquerda votou contra serem pedidos os SMS trocados entre Mário Centeno e António Domingues, na comissão de inquérito à CGD. O Presidente da dita Comissão, Matos Correia demitiu-se em protesto. Montenegro vocifera. A direita diz que a Assembleia da República é um alfobre de ditadores de esquerda e invoca os direitos das minorias que diz estarem a ser atropelados. E argumenta que…

View original post mais 331 palavras

Dilma, no Sul 21: porque o capital financeiro enquadrou o Brasil

Luíz Müller Blog

dilma

Do Fernando Brito no  TIJOLAÇO

Publico, na forma de artigo, trecho da longa entrevista de Dilma Rousseff ao Sul 21. Aqui está, a meu ver, o centro da questão do golpe e o cerne da incapacidade do capital financeiro de prover progresso econômico e social ao Brasil.

A dominação financeira é casada com a desigualdade

Dilma Rousseff

O que caracteriza o neoliberalismo hoje não é o fato de que eles tenham elaborado o Consenso de Washington, mas sim a preponderância do setor financeiro sobre o setor produtivo. De certa forma, todos viraram bancos. E quando todos viram bancos, é bom lembrar que, uma parte que não é banco propriamente dito, não está regulada. Uma parte expressiva dos ganhos das empresas passa a decorrer da atividade financeira e não da atividade produtiva. Os Estados Unidos são o que há de mais desenvolvido do ponto de vista do sistema…

View original post mais 667 palavras

The last harbor

Salt of Portugal

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

The existence of one of Lisbon’s best fish restaurants has been a closely guarded secret for more than half a century. Its name is “Último Porto” (the last harbor). Now that the secret is out, we might as well confess everything.

The restaurant is tucked away in the corner of one of Lisbon’s harbors (Rocha do Conde de Óbidos). It is not a glamorous place. But for fish lovers it is heaven.

There are tables inside and an esplanade surrounded by containers that is very pleasant when the weather is warm. It is easy to park and the walk to the restaurant is beautiful with the river in front of us and the city on our back.

“Último Porto” opens only for lunch and it is always full of locals. Grilled fish is the main event and the stars of the show are the “salmonetes” (mullets). Their skins are colored with yellow and…

View original post mais 118 palavras

Milénicos. A última geração do século XX

A Estátua de Sal

(Reportagem de Fernanda Câncio, in Diário de Notícias, 18/02/2017)

geracao

Podiam ser apocalípticos, mas deixaram isso para a geração anterior, a individualista, sombria e hedonista X. Cresceram com a internet, levaram com a crise financeira de 2008 em cheio nas expectativas e logo a seguir com a do euro. Tanto os dizem hipernarcisistas como mais gregários, conformados ou empreendedores, apolíticos ou ativistas, alheados ou otimistas, os mais “bem preparados de sempre” ou os mais pretensiosos. Quem são afinal os milénicos?

“A minha geração”. É o nome de uma célebre canção que começa assim: “As pessoas tentam fazer-nos sentir mal / Falando da minha geração / Só porque andamos por aí / Falando da minha geração / Espero morrer antes de ficar velho/ Falando da minha geração.”

A canção tem 46 anos. O homem que a escreveu, Pete Townshend, da banda britânica The Who, tem mais de 70; não morreu antes de…

View original post mais 3.451 palavras

As mensagens de SMS e os direitos fundamentais ou uma República de polícias e bufos

A Estátua de Sal

(Por Miguel Reis, in Facebook, 19/02/2017)

miguel_reis

A questão das mensagens de SMS trocadas entre o ministro das Finanças português, Mário Centeno e um gestor bancário convidada pelo governo para a administração da Caixa Geral de Depósitos suscita sérios problemas no plano dos direitos fundamentais.
É certo que o artº 178º,5 da Constituição da República determina, sem margem para dúvidas, que “as comissões parlamentares de inquérito gozam de poderes de investigação próprios das autoridades judiciais”.
Mas é mais do que duvidoso que, por isso mesmo, possam violar o sigilo das comunicações privadas.
As autoridades judiciais não têm poderes para tanto, exceto num quadro muito limitado, a benefício da investigação criminal de crimes graves.
O artº 134º,1 da Constituição é inequívoco no sentido de que “o domicílio e o sigilo da correspondência e dos outros meios de comunicação privada são invioláveis.er jurisprudência”
O nº 2 dispõe que “a entrada no domicílio dos…

View original post mais 1.179 palavras

Défice de 2,1%: o grande silêncio

A Estátua de Sal

(Nicolau Santos, in Expresso Diário, 17/02/2017)

nicolau

De repente, o ministro das Finanças anuncia que o défice em 2016 ficou não em 2,8%, 2,5%, 2,4% mas em 2,1% e o grande debate é em torno dos sms trocados entre Mário Centeno e o ex-presidente da Caixa Geral de Depósitos, António Domingues. De repente, sabe-se que o défice passou de 3,1% em 2015 para 2,1% no ano passado e o que se discute acaloradamente é se haverá ou não uma nova comissão parlamentar de inquérito, desta vez incidindo especificamente nas trocas de mensagens entre Centeno e Domingues. De repente, devíamos estar a falar de coisas importantes para o país mas os noticiários e os comentários são dominados por uma troca de sms entre duas pessoas.

Sim, claro que é importantíssimo saber o que Centeno disse a Domingues. Claro que é óbvio que Domingues pôs como condição não apresentar, nem ele nem a…

View original post mais 540 palavras