Terna é a noite

A Estátua de Sal

(Estátua de Sal, 24/06/2016)

exit

Resolvi dar a este texto o título de um conhecido romance de F. Scott Fitzgerald apesar de não ir tratar problemas de conjugalidade doentia, alcoolismo ou esquizofrenia. Contudo, depois de refletir um pouco mais, cheguei à conclusão que os temas estão mais próximos do que se poderia julgar.

 Estive pela noite dentro a seguir os desenvolvimentos do resultado da votação do referendo na Inglaterra. Brexit or not Brexit that was the question. Não me custou nada, pois, e faço já a minha declaração de interesses, sou um inveterado noctívago.

Foi curioso observar como à medida que o tempo passava e os votos iam sendo contados, a nuvem diáfana de fantasia com que a comunicação social embala as almas para que sorvam as narrativas mais convenientes, se foi esboroando. Com base numa sondagem, feita pela internet, divulgada 10 minutos após o fecho das urnas e que…

View original post mais 1.116 palavras

Anúncios

SINAIS DE FOGO – REINO LARANJA – por Soares Novais

A Viagem dos Argonautas

sinais de fogo

É  aos  pregadores  da “São Caetano”, à Lapa, que todos os canais proporcionam o maior número de horas televisivas. Assim, eles, os pequenos e grandes pastores do Reino Laranja, podem fazer as suas homílias contra o “público” e a favor do “privado”.

A confirmação daquilo que há muito se sabe é feita num estudo do Laboratório de Ciências da Comunicação do ISTE-IUL. O PSD é o partido com mais comentadores residentes e que simultaneamente são seus militantes (11). Seguem-se PS (7), Bloco de Esquerda (4), CDS/PP (3), “Livre” (1) e PCP (1). PEV e PAN simplesmente não contam para nenhum dos templos televisivos.

Não se pense, contudo, que a pregação laranja se queda pelos onze assumidos apóstolos. Outros há, que embora dizendo ser de outra seita – caso de Francisco Assis, por exemplo – são também eles fervorosos defensores do “céu” só para alguns escolhidos…;

Ou seja: num…

View original post mais 83 palavras

Vamos lá então falar sobre a Caixa

A Estátua de Sal

(Nicolau Santos, in Expresso, 18/06/2016)

nicolau

O PSD quer saber de quanto é que a Caixa Geral de Depósitos precisa para reforçar o seu capital e o que justifica esse montante. Quer o PSD saber e queremos todos nós. Mas se é para saber mesmo, então vamos começar a contar a história desde o princípio, quando em 1995 Rui Vilar abandonou a presidência da instituição. A partir daí, pouco a pouco, PS, PSD e CDS politizaram as sucessivas administrações da CGD e utilizaram-na para os seus objetivos, quer de negócios quer para pagar favores políticos. Passou a ser aceite como natural haver a quota de administradores do CDS (Celeste Cardona, Nuno Fernandes Thomaz…) e os presidentes deviam ser do PS quando o PSD estava no poder e vice-versa. Foi possível assistir a uma batalha entre um chairman (António de Sousa) e o CEO (Mira Amaral), acabando os dois na rua. Foi…

View original post mais 1.036 palavras

Chamar os bois pelos nomes

VAI E VEM

Augusto Santos Silva TSFO que aprecio em Augusto Santos Silva, além da inteligência e da capacidade política, é a frontalidade com que encara as situações e lhes dá o devido nome.

Numa entrevista à TSF, este sábado, na qualidade de ministro dos Negócios Estrangeiros, Santos Silva defendeu o projecto europeu, mostrando-se optimista em relação à permanência do Reino Unido na  UE mas não dramatizando as consequências de uma eventual saída. Numa análise lúcida e desapaixonada, o ministro dos Negócios Estrangeiros não deixou porém de exprimir uma dura crítica ao comportamento adoptado relativamente a Portugal por “funcionários” europeus. Disse o ministro:

O que Portugal não aguenta é um clima de ameaça constante, hostilização permanente, porque as expectativas são importantes em economia. Não há maneira de atrair investimento se houver funcionários a dizer isto vai falhar, isto vai falhar.“.

Santos Silva foi certeiro na qualificação das declarações que porta-vozes e outros funcionários europeus…

View original post mais 78 palavras

Durante muito tempo vai deixar de haver notícias

A Estátua de Sal

 (José Pacheco Pereira, in Sábado, 17/06/2016)

Autor Pacheco Pereira

Que fique bem claro que penso que o Campeonato Europeu de Futebol, ainda por cima com a participação de Portugal, é notícia e matéria de relevo noticioso. Não ponho nada disso em causa. Admito mesmo uma situação de cobertura noticiosa especial, com meios e tempo acima do normal. Mas não é isso que se passa. O que se passa é uma profunda anomalia e deriva dos media para se tornarem apenas puro entretenimento e deixarem de ter fronteiras entre géneros, com a canibalização de todas as emissões – a televisão é o melhor exemplo do que digo – pelo futebol. A lógica jornalística implicava que as principais notícias fossem dadas nos noticiários (e refiro-me a notícias e não ao penoso espectáculo de adeptos, jornalistas, políticos, etc., a dizer coisa nenhuma, a não ser a portugalidade descoberta pela via da bola). E depois…

View original post mais 639 palavras

Foi Dijsselbloem ou eu que caí do cavalo?

A Estátua de Sal

(Nicolau Santos, in Expresso Diário, 17/06/2016)

nicolau

Esta manhã, ainda ensonado, vi na televisão o presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, a dizer que se devia aproveitar as historicamente baixas taxas de juro no Velho Continente para resolver a dívida excessiva dos países da zona euro. Como a declaração passou tão depressa e não encontrei ainda confirmação nos vários sites a que recorri, fiquei na dúvida se ouvi mal, se estava a sonhar ou se foi Dijsselbloem que caiu do cavalo. Já me explico.

Um dia, recebi um elogio viperino de um ex-ministro das Finanças deste país. “Você caiu do cavalo e bateu com a cabeça numa pedra? É que está a escrever muito melhor.” Pois a minha dúvida é se Dijsselbloem também não terá caído no cavalo e batido com a cabeça numa pedra para dizer o que disse – ou o que eu penso que o ouvi dizer.

É que…

View original post mais 504 palavras

Pobres amarelinhos, foram abandonados

A Estátua de Sal

(In Blog O Jumento, 13/06/2016)

amarelos

Que coisa tão estranha, os amarelinhos desapareceram! O cardeal esqueceu-se da sua evangelização da liberdade de escolha, a Cristas parece ter metido férias e os seus deputados jé nem se vestem de amarelo, até o traste de Massamá, que foi o primeiro a abandoná-los, anda a pular de causa em causa, a esperança de o país escorregar nalgum buraco.

O que é feito da preocupação pelos novos projectos educativos, com os professores que iam ficar desempregados, com o futuro das criancinhas, com os direitos contratuais? De um dia para o outro desapareceram, ainda apareceram disfarçados de branco, armados em fascistas à porta de um congresso partidário, mas bastou uma sondagem da Aximage para que tivessem desaparecido.

Como a causa não rende votos os líderes da direita que andaram tão empertigados calaram-se, parece que o próprio cardeal deverá ter percebido que não ia ganhar almas para…

View original post mais 246 palavras