O procurador precisa de um serviço de clipping

VAI E VEM

Ao longo da investigação do processo Face Oculta, João Marques Vidal chegou a divergir das orientações de Pinto Monteiro, procurador-geral da República Dizem os jornais que o procurador do Ministério Público de Aveiro, Marques Vidal, responsável pelo processo Face Oculta, “afirmou que o ex-procurador-Geral da República, Pinto Monteiro, devia ter vindo a terreiro esclarecer se [o Face Oculta] era ou não era um processo político”, acrescentando que não acha o normal “que haja a suspeita e que não haja a resposta”.

O procurador Marques Vidal deve andar distraído, o que tendo em conta as  funções que desempenha pode ser perigoso. De facto, Pinto Monteiro pode ser acusado de muita coisa menos de não “dar respostas”. O que ele deu mais, e continua a dar,  foram respostas.

Se o procurador Marques Vidal não lê jornais nem vê televisão devia ao menos ter um serviço de clipping ou alguém que o informasse sobre o que se diz ou escreve sobre os processos que tem a seu cargo. Ou então lê e ouve mas só recorda o…

View original post mais 382 palavras

Anúncios