Veríssimo: estamos sendo feitos de palhaços

Luíz Müller Blog

luis-fernando-verissimo

Do Veríssimo:

Depois da provável cassação da Dilma pelo Senado, ainda falta um ato para que se possa dizer que la commedia è finita: a absolvição do Eduardo Cunha. Nossa situação é como a ópera “Pagliacci”, uma tragicomédia, burlesca e triste ao mesmo tempo. E acaba mal. Há dias li numa pagina interna de um grande jornal de São Paulo que o Temer está recorrendo às mesmas ginásticas fiscais que podem condenar a Dilma. O fato mereceria um destaque maior, nem que fosse só pela ironia, mas não mereceu nem uma chamada na primeira página do próprio jornal e não foi mais mencionado em lugar algum.

A gente admira o justiceiro Sérgio Moro, mas acha perigoso alguém ter tanto poder assim, ainda mais depois da sua espantosa declaração de que provas ilícitas são admissíveis se colhidas de boa-fé, inaugurando uma novidade na nossa jurisprudência, a boa-fé presumida. Mas é…

View original post mais 243 palavras

Anúncios

Bons costumes

A Estátua de Sal

(Daniel Oliveira, in Expresso, 27/08/2016)

Autor                        Daniel Oliveira

Com aplauso do governo de Paris, várias cidades balneares francesas proibiram a utilização de burkinis na praia, medida entretanto suspensa, em algumas localidades, pela mais alta instância da justiça administrativa francesa. Apesar do nome, os burquínis tampam o corpo e o cabelo, deixando o rosto visível. Vi-os quando estive em praias turcas. Lá, ninguém incomodou a mulher que, ao meu lado, usava biquíni. Gostava que em França acontecesse o mesmo, no sentido inverso. “O acesso à praia será banido a todos os que não tiverem roupa de banho adequada que respeite os bons costumes e o secularismo”, lê-se no comunicado do presidente da Câmara de Cannes.

Dantes o Estado achava que as mulheres sérias se deviam tapar, hoje acha que se devem destapar. Sempre em nome dos “bons costumes”. A ministra da igualdade francesa diz que tapar o corpo é uma forma…

View original post mais 421 palavras

Há uma coisa com que concordo com Passos Coelho (e, diga-se de passagem, com o PCP)…

A Estátua de Sal

(José Pacheco Pereira, in Sábado, 19/08/2016)

Autor             Pacheco Pereira

…é que vai ser muito difícil com a actual política fazer crescer a nossa economia e o País. Temos, pois, três pessimistas, eu, Passos e o PCP, mas se todos pensamos que as coisas não vão correr bem, não é, como é óbvio pelas mesmas razões. Temos um ponto de vista comum sobre as consequências, mas divergimos completamente quanto às causas e às soluções.

De que política falamos, eu e o PCP? Da que está expressa nas chamadas “regras europeias”, verdadeiro programa de estagnação, na melhor das hipóteses, e portanto, a prazo, de recuo do País para uma cada vez maior dependência externa e periferização, sem efectiva melhoria das condições de vida da maioria dos portugueses. O PS está amarrado a essa política e já teve que fazer concessões bastantes (e pelos vistos pedem-lhe muito mais) para acabar por nem estar…

View original post mais 588 palavras

Fogo que arde e se vê

A Estátua de Sal

(João Quadros, in Jornal de Negócios, 19/08/2016)

quadros  João Quadros

Chegou tarde, mas chegou em força, a temporada de incêndios. Como sempre, nesta altura, há especialistas em incêndios nos sete canais.


Todos têm teorias sobre o que já devia ter sido feito, o que não se fez e o que não deviam ter desfeito. Chegando o fresco Setembro, já nunca mais ninguém pensa nisto. Depois, passam uns meses e vêm os especialistas nas cheias em Albufeira e Santarém, e o ano termina com a falta de limpa-neves na serra da Estrela (que tem a única estância de esqui do mundo que, quando neva, fecha). Já todos sabemos que, depois, fica tudo na mesma. A única medida para ajudar na prevenção dos incêndios em 2017 era aumentar o tamanho dos baldes das esfregonas, porque acaba sempre por ser o popular com o balde a lutar com o incêndio.

Confesso que pouco percebo…

View original post mais 494 palavras

Sempre que brilha o sol, naquela casa

A Estátua de Sal

(João Quadros, in Jornal de Negócios, 12/08/2016)

quadros João Quadros

Foi a meio das férias, que foram curtas, que dei pela polémica do IMI. Estava a apanhar sol na piscina de um hotel quando, graças ao Twitter, tomei conhecimento de que Assunção Cristas teria dito: “O sol já paga imposto!”

Como, por vezes, me esqueço de que o PP já não está no poder, fui logo untar-me com ecrã total com receio de que tivesse sido criado um imposto para o bronze. Aposto que a troika não desdenharia a ideia.

Lendo a notícia, à sombra, percebi que o CDS-PP classificava as alterações ao IMI como um “ataque directo à classe média” – fiquei ainda mais confuso, estava convencido de que a classe média tinha acabado depois dos anos de governo PàF.

Na verdade, o que Cristas destacava nas alterações do IMI era uma lei que tinha sido criada pelo seu governo…

View original post mais 478 palavras

MUNDO CÃO – O ESTADO DO MUNDO NÃO É UM GOLPE DE AZAR – por José Goulão

A Viagem dos Argonautas

Mundo Cão

blair01

Poucas situações geram um tão elevado número de opiniões coincidentes como a do estado desgraçado em que o mundo se encontra. Exceptuando os donos da opulência, poucos em número embora soberanos no poder, os tolos que argumentam com um optimismo incurável enquanto o sangue da tragédia humana planetária jorra em cascata sob os seus olhos, e os iludidos crentes de vários matizes que, contra todas as evidências, ainda acham que as divindades vão curar as chagas cada vez mais profundas, a esmagadora maioria dos seres terrestres, pelo menos no íntimo das suas consciências, não duvidam da situação dramática a que isto chegou.

O objectivo deste escrito não é o de enumerar as guerras, relatar os casos identificados de rapina global, as operações gananciosas e impunes para destruição do planeta. As atrocidades são tantas, e engendradas segundo artifícios tão diversificados, que o risco seria o de banalizar os crimes e deixá-los…

View original post mais 719 palavras

Sobre as Olimpíadas: O dia em que a Globo se dobrou ao Lula (A Globo apagou, mas a gente mostra aqui

Luíz Müller Blog

A Globo e a grande mídia fizeram retrospectivas sobre a vinda da olimpíadas ao Brasil. A Globo, descaradamente apagou a principal parte desta história, que se deu em 2009. Naquela ´época a Globo deu uma bela cobertura, que hoje ela esconde. Mas o Brasil 247 postou e a gente republica aqui o vídeo que mostra como a Olimpíada chegou ao Brasil e quem esteve lá se esforçando e convencendo o mundo de que o Brasil era bom o bastante para ter a Olimpíada. Assista o Vídeo. Ele fala por si:

globo lula

Vai o vídeo:

View original post