Santana e a arte de se fazer desejado 

A Estátua de Sal

(Daniel Oliveira, in Expresso Diário, 09/10/2017)

santana4

Luís Montenegro deixou que se especulasse durante um ou dois dias. Até perceber o óbvio: que não tem estatuto político para ser um verdadeiro candidato à liderança do PSD. Nem mesmo como candidato previamente derrotado em representação do legado passista. Paulo Rangel deixou passar mais um dia. Até ele mesmo perceber que o apoio tão encarniçado como pouco sincero que deu à liderança de Passos não se limpava em poucos meses. Que quem queira virar a página no PSD não pode ter mácula de passismo. Passos é passado. Para ele, sobram os agradecimentos do exército de colunistas militantes de uma direita que existe quase apenas nos jornais e na academia e que o País descobriu com a troika e quer esquecer rapidamente. A estes órfãos isso irei noutro texto.

Mas com Pedro Santana Lopes nunca poderia ser assim. E mais uma vez, a segunda…

View original post mais 544 palavras

Anúncios

PSD d.C.

A Estátua de Sal

(João Quadros, in Jornal de Negócios, 06/10/2017)

quadros João Quadros

Santana Lopes está a ponderar avançar para líder do PSD. Acho uma candidatura sem sentido. Santana Lopes vai ser, obviamente, chumbado pelo PSD porque foi PM sem ter vencido as eleições. Eles odeiam isso.


O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, anunciou na reunião da Comissão Política Nacional que não irá recandidatar-se ao cargo nas próximas eleições. O jornal online O Observador tem o José Manuel Fernandes a meia haste.

Calma, segurem o fogo-de-artifício porque Passos ainda continua como líder do PSD até às directas do partido. No fundo, pode continuar a ser entrevistado, mas é como se fosse um ex-Casa dos Segredos. A postura de Passos na assembleia, para fazer sentido, vai ser como naquele filme, o “Fim-de-semana com o morto”. O Hugo e o Montenegro é que o acartam. Passos fica, mas em modo Bento XVI.

A verdade é…

View original post mais 467 palavras

Por onde andaste Rui Rio?

A Estátua de Sal

(In Blog O Jumento, 05/10/2017)
ruirio
Não sou militante do PSD mas imagino a pergunta que muitos dos seus militantes estarão a fazer nestas horas, onde andou Rui Rio durante estes anos?
Rui Rio não deu a cara por nada, não correu riscos, diz que nada disse e sugere que foram os jornalistas que falaram por ele, como se fossemos néscios e não soubéssemos como se colocam notícias. Rui Rio não só não deu a cara, como em três anos andou escondido na penumbra. Umas vezes criticava ou fazia leves críticas a Passos, quando lhe convinha aparecia a dar algum apoio, mas desaparecia logo de seguida.
Onde estava Rui Rio enquanto Manuela Ferreira Leite tinha coragem de criticar ou apoiar as decisões governamentais de Passos Coelho? Onde estava Rui Rio quando muitos dos críticos de Passos Coelho assumiram a coerência que lhes impunha a sua militância. Rui Rio estava mas não…

View original post mais 352 palavras

A doença que está a encolher o PSD – Parte I

A Estátua de Sal

(José Pacheco Pereira, in Público, 03/10/2017)

JPP Pacheco Pereira

Se nada for feito pelos seus militantes, o PSD mudará de carácter consolidando a sua deriva à direita, tentado pelo populismo.


View original post mais 1.184 palavras

O diabo chegou e vai levar Passos Coelho

A Estátua de Sal

(Daniel Oliveira, in Expresso Diário, 02/10/2017)

Daniel Daniel Oliveira

Não preciso de entrar em muitos pormenores. O PS ganhou câmaras, manteve todas as que eram importantes e reforçou maiorias. Subiu em votos, em mandatos, em tudo. Em qualquer critério que se queira utilizar é o grande vencedor da noite de ontem. Muito acima das melhores expectativas.

Em Lisboa e Porto, a vitória foi da continuidade. Rui Moreira conquistou a maioria absoluta. Com ela veio um discurso lamentável, que faz temer o pior para os próximos quatro anos. Fernando Medina venceu, apesar de ter caído em relação a Costa. Perdeu a maioria e precisa dos vereadores do PCP ou do vereador do BE para governar. Ainda assim, o PS tem todas as razões para sorrir nestas eleições. Mesmo no Porto, onde Manuel Pizarro perdeu, consegue, num contexto de reforço de Moreira, subir o seu resultado, muito provavelmente à custa da catástrofe eleitoral do PSD.

Mas estas eleições eram…

View original post mais 492 palavras

As autárquicas e o dia seguinte

A Estátua de Sal

(Joseph Praetorius, in Facebook, 01/09/2017)

prae2 Joseph Praetorius

De acordo com os primeiros resultados, o coelhismo conseguiu ainda lugar em Lisboa e Porto. A extrema direita dos caixeiros, viajantes ou residentes, mantém uma preocupante representação.

E Isaltino foi reconduzido, por um eleitorado que assim se pronunciou sobre o que pensa dos juízes do tribunal de Oeiras. Não ando longe de tais conclusões, eu próprio.

Cristas, criatura da nova lei do arrendamento desalojante, responsável pela acentuação da pobreza de miríades de velhos e pelo fim inglório das lojas históricas, parece ter conseguido mobilizar os masoquistas com pendor para as rechonchudas. Cristas celebrizou-se ainda por ter assinado sem ler a resolução do BES que tanta desgraça, intencionalmente, semeou. Tem o apoio do cadáver insepulto do PPM.

Desencadear-se-à em breve a chacina organizacional dos coelhos, segundo ameaças vindas a público – verdadeira noite dos pernas-longas – e alinham-se já uns fenómenos a armar em…

View original post mais 243 palavras

O dia seguinte às eleições 

A Estátua de Sal

(Nicolau Santos, in Expresso Diário, 29/09/2017)  

nicolau

As sondagens valem o que valem mas as últimas mantém uma tendência de descida acentuada do PSD nas duas mais importante cidades do país. Se se confirmarem, isso significará uma derrota para quem optou pela escolha dos candidatos e pela estratégia política que tem vindo a ser seguida, tanto mais que não se vislumbra possível ganhar a liderança das associações nacionais de freguesias ou de municípios. Bem se sabe que Passos Coelho já disse que não se demite de presidente dos social-democratas. Mas a pergunta é: o PSD vai continuar a assistir impávido e sereno a este declínio do partido ou ainda acredita que será possível ao atual líder conduzir de novo a nação laranja ao poder nas eleições de 2019?

Pedro Passos Coelho sofre de stress pós-traumático. E o trauma, como se sabe, aconteceu nas eleições de 4 de Outubro de 2015 onde, apesar de ter ganho as…

View original post mais 379 palavras

Albergue Espanhol

Um site WordPress.com de primeira

DER TERRORIST

Um site WordPress.com de primeira

ABRUPTO

Um site WordPress.com de primeira