Amava a vida. E, portanto, a liberdade

A Estátua de Sal

(Teresa de Sousa, in Público, 07/01/2017)

soares_1

Nota Prévia ao texto

Morreu Mário Soares. Como ateu assumido que era, não é justo dizer, em sua memória, paz à sua alma. Digo pois, somente, que descanse em paz. Quem fica para a História dos povos e dos países raramente faz o pleno dos consensos. Como ele. Muitas vezes dele discordei, e muitas vezes com ele concordei. Os grandes vultos são assim. Controversos. Porque as sociedades não são uma massa informe de unanimismos mas sim um poço a fervilhar de interesses contraditórios. Soares terá tido muitos defeitos, como todos nós. Mas um que não podemos assacar-lhe é o da tibieza. Sempre com fervor e audácia avançou com coragem na defesa daquilo em que acreditava. Para o bem e para o mal, foi sempre em frente, sozinho umas vezes, com a sua gente noutras. Em que medida esteve mais certo ou mais errado a…

View original post mais 3.365 palavras

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s