Petrobras e a geopolítica do golpe – por Amílcar Salas Oroño

A Viagem dos Argonautas

Selecção de Júlio Marques  Mota

Petrobras e a geopolítica do golpe

Sempre esteve claro que o golpe contra Dilma e contra a democracia tinha seus interesses por trás. Não era a responsabilidade fiscal o verdadeiro argumento

Por Amílcar Salas Oroño

* Agradecimento especial ao Camilo Joseph

749020e6df23b73a262754c9b8ce32789a24c938f0d165b1016b861de16e6fe0

A aprovação da modificação do marco regulatório da exploração do petróleo no Brasil constitui não somente um enorme retrocesso soberano para o país como também a confirmação de que, independente das motivações internas, o golpe contra Dilma Rousseff também estava pautado pelas necessidades e conveniências dos interesses externos.

Tal como afirmou Edward Snowden, o Brasil foi um dos países mais espionados do mundo, um dos alvos preferenciais da Agência Nacional de Segurança (NSA, por sua sigla em inglês). Dentro dos âmbitos de interesse prioritários norte-americanos figuravam tanto as atividades pessoais da própria presidenta Dilma como os movimentos realizados pela empresa Petrobras. Nada disso era aleatório:…

View original post mais 841 palavras

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s