Mentiras Gerais

A Estátua de Sal

(Baptista Bastos, in Correio da Manhã, 11/05/2016)

bb1 Baptista Bastos

Foi penosa a entrevista do Durão Barroso ao Ricardo Costa. Para quê ouvir alguém que nada tem para dizer, a não ser dislates e banalidades? Aquilo cheirava a frete e converteu-se num embuste. Jorge Sampaio manifestou-se “perplexo” com as declarações do entrevistado sobre a Cimeira dos Açores, aclarando que a terminologia então utilizada pelo Barroso não correspondia à verdade do que estava em jogo. Afinal, era uma reunião para a guerra e não para a paz, como lhe fora garantido. A “perplexidade” de Sampaio traduz-se na circunstância de ter sido enganado, e o Barroso diz, agora, que o mentiroso é o Bush.

Estamos em pleno delírio interpretativo. A omissão, a mentira, como instrumentos. Surge, no proscénio, o Passos Coelho. O homem demonstra um acabrunhamento, uma soturnidade dolorosos. Ainda se não habituou à evidência de que foi escorraçado do poder. Perpassa, nos…

View original post mais 157 palavras

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s